como-melhorar-a-autoestima-e-ser-mais-confiante.jpeg

Manter a autoestima elevada na 3ª idade é um desafio, afinal, ela não tem a ver apenas com a maneira como o idoso se enxerga, mas está, também, intimamente relacionada ao modo como ele se sente em relação a si mesmo.

Com o passar dos anos, a autoestima das pessoas tende a decair em consequência de fatores como as limitações funcionais, alterações físicas típicas da idade e um eventual isolamento nessa fase da vida.

Apesar das dificuldades para preservar a autoestima, é indispensável buscar estratégias para que ela seja mantida, até porque, em qualquer idade, a autoestima traz benefícios para a saúde, beleza, bem-estar e qualidade de vida.

Pensando nisso, listamos algumas dicas práticas para melhorar a autoestima e turbinar a confiança dos idosos. Confira:

O idoso deve ter uma vida social ativa

Para melhorar a autoestima, o idoso deve combater a ociosidade e levar uma vida social ativa. Isso inclui sair com os amigos, interagir com a família, frequentar bailes, namorar, aprender novas coisas e se dedicar a um hobby.

Isso torna os dias mais felizes e produtivos, além de fazer com que a pessoa na 3ª idade se sinta mais viva e útil do que nunca. Para completar, uma rotina socialmente ativa é essencial para fortalecer a autonomia do idoso.

A prática de exercícios é bem-vinda nessa fase

Ficar com a cabeça desocupada e os pés para cima, definitivamente, não é o melhor programa para os idosos. Mesmo que eles se aposentem no trabalho, parar as demais atividades não deve estar no script, entendido?

Por falar nisso, a chegada à 3ª idade é um momento oportuno para se exercitar e entrar em movimento. A prática de exercícios físicos pode melhorar a imagem e, consequentemente, elevar a autoestima.

Como se não bastasse, ela ajuda a driblar os limites físicos do envelhecimento, a controlar a ansiedade, a combater a depressão e a prevenir doenças como estresse, hipertensão, hiperglicemia e gastrite.

O isolamento precisa ser evitado

Como diria Tom Jobim: “é impossível ser feliz sozinho”. O idoso pode até morar só, mas ele precisa conviver com outras pessoas, sobretudo, com a família. Essa convivência faz com que ele se sinta querido, amado e especial, o que evita sentimentos negativos, como baixa autoestima, tristeza e sensação de inutilidade.

Se você é familiar de um idoso, faça questão da presença dele nos momentos em família. Se você é alguém que chegou à 3ª idade, não abra mão de se relacionar com sua família e de compartilhar com ela toda sua experiência e maturidade.

Saber lidar com as críticas negativas é imprescindível

Quem deseja melhorar a autoestima precisa saber lidar com as críticas e com os comentários negativos. Tenha em mente que as críticas, se construtivas, devem ser ouvidas, aceitas e analisadas. Já as críticas maldosas e depreciativas não podem ter vez na vida do idoso. O ideal é fugir delas.

Não dê ouvidos a comentários do tipo “você é velho demais para isso”, “você é inútil”, “você não vai conseguir por causa da idade”. O idoso pode fazer muitas coisas que quiser, principalmente, pode ser muito feliz e realizado nessa etapa tão especial da vida.

Portanto, é importante que a pessoa na 3ª idade esteja disposta a superar as limitações, aceitar seus equívocos, a se desviar das críticas depreciativas e a seguir em frente, em busca da felicidade.

Gostou das nossas dicas? Tem outras estratégias para melhorar a autoestima na 3ª idade? Deixe um comentário e compartilhe a sua opinião conosco!

Escrito por lincare