qualidade-de-vida-na-terceira-idade-vale-a-pena-morar-sozinho.jpeg

Você sabia que, cada vez mais, os idosos estão optando por morar sozinhos? De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), atualmente, 44,3% das pessoas que moram sozinhas no Brasil possuem 60 anos ou mais. E esse número não para de crescer!

De uns tempos para cá, a imagem do idoso incapaz de morar sozinho tem sido desconstruída. Nos últimos anos, o número de idosos que vivem sós simplesmente triplicou, saindo de 1,1 milhão para ultrapassar os 3 milhões, como revela a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio).

Esse crescimento se deve ao aumento da expectativa de vida da população na terceira idade, busca do idoso por autonomia, liberdade e independência, além da situação financeira confortável de boa parte dos idosos.

Esses fatores os levam a procurarem o próprio cantinho para ter qualidade de vida na terceira idade e viver essa fase tão especial da vida, o que não significa, se isolar da família e dos amigos. Morar sozinho definitivamente não quer dizer envelhecer só. Veja, a seguir, quais são os prós e contras de morar sozinho na terceira idade:

Vantagens de um idoso morar sozinho

Fortalecimento da autonomia

Se o idoso tem condições físicas e intelectuais de morar sozinho, é forte o suficiente para realizar as atividades funcionais do dia a dia — tomar banho, comer, se medicar — e é capaz de cuidar da casa, viver só é uma excelente opção para esse indivíduo, já que a sua independência e autonomia serão fortalecidas.

Ainda que necessite da ajuda eventual dos filhos, cuidadores ou profissionais auxiliares em serviços domésticos, esse idoso será autônomo e independente, o que faz muito bem para sua saúde e qualidade de vida na terceira idade.

Melhora da autoestima

O idoso que mora sozinho tende a manter a autoestima elevada. Isso mesmo! Como ele realiza muitas atividades de maneira independente, ele se sente útil e capaz, o que aumenta a confiança em si mesmo e melhora a forma como tal idoso se enxerga.

Vale ressaltar que cuidar da autoestima na terceira idade é fundamental, afinal, uma boa autoestima evita problemas como depressão, estresse, ansiedade, hipertensão, hiperglicemia, gastrite e outros males que podem atingir os idosos.

Desvantagens de um idoso morar sozinho

Sentimento de insegurança

A grande desvantagem de morar sozinho na terceira idade é o medo, a insegurança e o sentimento de desproteção. Na companhia dos filhos ou de outros cuidadores, muitos idosos se sentem mais seguros do que se morassem sozinhos.

Para driblar essa insegurança, vale a pena contar com as visitas da família, investir em proteção residencial, ter meios de comunicação à disposição e apostar em sistemas de monitoramento, como a pulseira e aplicativo que acompanham os batimentos cardíacos do idoso, monitoram a glicose, controlam a pressão e emitem sinal para solicitar ajuda, caso a pessoa na terceira idade precise.

Sensação de carência e solidão

Pode ser que no começo, o idoso se sinta sozinho e carente, já que não conta com a presença constante dos filhos, noras e netos. Com o passar do tempo, essa sensação tende a diminuir, especialmente se a família for participativa.

O que normalmente entristece os idosos não é o fato deles morarem sozinhos. É o fato de se sentirem esquecidos e abandonados pela família e pelos amigos. Para combater esse problema, é essencial que o idoso se mantenha ativo socialmente e procure não se distanciar das pessoas que ama.

Além disso, o idoso deve pedir ajuda sempre que precisar, sem orgulho, sem isolamento, sem medo de julgamentos. Todos nós precisamos uns dos outros, independentemente da idade. Fica a dica!

Pronto! Agora você já sabe que morar sozinho também pode proporcionar qualidade de vida na terceira idade. O que achou do nosso artigo? Acredita que realmente vale a pena morar sozinho nessa fase da vida? Deixe um comentário abaixo!

Escrito por lincare