pressão arterial

 

A preocupação com a saúde têm se tornado cada vez mais frequente nos dias de hoje. Academias, principalmente as multifuncionais, com cross fit, natação, spinning e pilates vêm crescendo cada vez mais no Brasil neste intuito de alinhar a saúde e a estética.

Alguns desses estabelecimentos utilizam ferramentas de monitoração de dados biomédicos para o acompanhamento e análise das atividades físicas que estão sendo realizadas. Este tipo de iniciativa evita problemas relacionados a alteração da pressão arterial.

Afinal, você sabe exatamente o que significa a pressão arterial e quais os impactos na sua saúde e qualidade de vida?  Não? então fique tranquilo que você está no lugar certo.

Neste artigo vamos esclarecer todas as suas dúvidas sobre a pressão arterial e te ajudar com várias  dicas para melhorar a qualidade de vida. Vamos lá?

O que significa pressão arterial?

Pressão arterial é a força em que o sangue é bombeado para fora do coração na parede das artérias, gerando uma pressão natural. O nome pressão arterial vem justamente desse pressuposto, pois este sangue é ejetado nas artérias, e não nas veias.

A pressão arterial média, de um indivíduo saudável é de 120/80 mmhg (milímetros de mercurio), o famoso 12 por 8. Mas fique tranquilo que vamos explicar direitinho essa medida.

Pressão máxima e mínima: o que significa o famoso ‘12/8’?

Já teve alguma vez em que foi medir sua pressão e o(a) médico(a) disse: “sua pressão está 12 por 8, está ótima”?

O número “12” (ou 120) representa a pressão máxima ou pressão arterial sistólica (PAS). É quando o coração ejeta o sangue para dentro da artéria, a pressão atinge seu valor máximo, devido a este bombeamento e a força que o sangue atinge as paredes da artéria. Por isso, este valor é sempre maior.

Já o número “8” (ou 80) representa a pressão mínima ou pressão diastólica (PAD) . Este momento o coração se reabastece de sangue em um momento de relaxamento, devido a este fato, os valores da pressão mínima são sempre inferiores.

TABELA DA PRESSÃO SANGUINEA

Mas quando o médico verifica o pulso é isso que ele avalia? Neste caso ele está lhe informando sua frequência cardíaca mas existem outros fatores que ele também analisa como o débito e a frequência cardíaca.

O que é débito cardíaco (DC) e frequência cardíaca (FC)?

No momento de pressão máxima, ou diástole, o coração injeta uma quantidade de sangue pela artéria. Essa quantidade de sangue que sai do coração é chamada débito cardíaco (DC). O débito cardíaco é medido com base em apenas uma pulsação do coração e a média deste valor é de 5,5 litros por minuto.

Já a frequência cardíaca (FC), conhecida comumente como pulso, corresponde a quantidade de vezes que o coração bate em um minuto. O valor padrão de um indivíduo saudável é de 60 a 80 BPM (batimentos por minuto).

Segundo dados do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia a frequência cardíaca de um atleta é de cerca de 30 BPM, valor bem inferior a pessoas que não realizam atividades. A atividade física deixa o músculo cardíaco mais forte e eficiente, ou seja, um batimento cardíaco de um atleta equivale a 2 ou três batimentos de uma pessoa menos ativa.

A pulsação pode alterar dependendo da resistência vascular das artérias ou veias, que é um dos fatos que também influenciam nos valores da pressão arterial.

Durante o fluxo sanguíneo o sangue pode encontrar algumas dificuldades ou facilidades ao passar pelas artérias ou veias. Esta força de oposição do sangue com os vasos é chamada de resistência vascular periférica (RVP).

Existem dois tipos situações que demonstram este fato, a vasoconstrição e a vasodilatação.

O que é a vasodilatação e vasoconstrição?

Suponhamos que você está fazendo um bolo incrível para o aniversário da sua filha. Você já escolheu o sabor e agora é a hora de confeitar, e a melhor opção foi o uso do glacê. Para fazer uma melhor distribuição e decoração foi utilizada a bisnaga para confeitar (aquelas que você coloca o glacê e aperta). Dependendo do tipo de bico que você utiliza a decoração sai diferente, não é mesmo?

Isto acontece porque quando é utilizado um bico com menor diâmetro você irá fazer uma maior força para que o conteúdo saia (fazendo uma pressão maior) e o glacê é expulso em menor quantidade, porém com uma velocidade maior.

Esse exemplo se assemelha a situação de vasoconstrição, onde a artéria está com o calibre diminuído deixando um espaço menor para que o sangue passe, aumentando consequentemente a pressão arterial.

Já com o bico com maior diâmetro, você faz menos força (fazendo uma pressão menor) e o glacê é expulso em maior quantidade, com uma velocidade menor.

Situação semelhante ao momento de vasodilatação onde as artérias estão dilatadas, com um calibre maior gerando uma menor pressão em suas paredes.

Estes dois fatores são características que alteram os valores da pressão arterial, porém existem outros importantes de serem estudadas que explicaremos logo a seguir.

Pressão alta ou hipertensão

A pressão alta ou hipertensão é um termo muito comum especialmente nos artigos de saúde. A sua definição é bem simples, significa o aumento da pressão arterial.

Segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), 17 milhões de brasileiros possuem pressão alta, sendo que 5 a 10% deste público tem menos de 18 anos, 30% possuem entre 18 e 60 anos e 50% dos hipertensos estão na terceira idade.

Além disso, o ponto que mais preocupa os especialistas é o fato da doença ser silenciosa e, ao mesmo tempo, devastadora. Na maioria das vezes, os pacientes não demonstram sintomas da doença, o que dificulta o diagnóstico e o tratamento enquanto o caso ainda é fácil de ser revertido.

A hipertensão muitas vezes pode ser causada por estresse, maus hábitos e sedentarismo. Devido a isto a prevenção e promoção à saúde se torna primordial.

Principais consequências da pressão alta

A pressão alta pode prejudicar vários órgãos, inclusive o próprio coração pois ela o dilata prejudicando todo o sistema arterial.

Esse aumento do coração gera o que chamamos de insuficiência cardíaca, que nada mais é que o acúmulo de líquido nos pulmões e nas pernas. Isso causa problemas respiratórios e hepáticos.

A falta de tratamento da hipertensão faz com que pressão que o sangue exerce nas paredes das artérias as danifique e causem a perda de elasticidade.

As plaquetas (que são responsáveis pela coagulação do sangue) com o intuito de sanar estes danos provocados fixam nas paredes das artérias para evitar o rompimento. Com isso o depósito de gordura naquele local é facilitado, formando placas denominadas arteriosclerose.

Com este acúmulo de gordura, há menos espaço para a passagem do sangue e consequentemente um aumento da pressão arterial, causando problemas como o AVC.

O que é o AVC?

O Acidente vascular cerebral ou derrame é o quando o fornecimento de sangue a uma parte do cérebro é comprometido causando um déficit neurológico. Existem dois tipos:

  • AVCI ( Acidente vascular cerebral isquêmico ) – quando há um entupimento de um vaso do sistema nervoso central.
  • AVCH ( Acidente vascular cerebral hemorrágico) – quando há um rompimento de um vaso do sistema nervoso central.

As complicações causadas pela hipertensão podem também afetar os rins e os olhos. Para evitar estas consequências são necessárias medidas de controle e prevenção para melhor tratamento desta doença.

 

Como prevenir ou tratar a pressão alta?

A prevenção e tratamento da pressão alta está muito relacionado a mudança de hábitos.

Ações relacionadas a alimentação e atividade física podem melhorar o quadros de possíveis alterações e atuar na prevenção de algumas doenças, inclusive cardiovasculares.

Citamos algumas dicas para que você consiga adquirir hábitos saudáveis:

1- Faça atividade física

A atividade física tem um papel fundamental como meio de promoção à saúde, melhoria de bem-estar e na qualidade de vida em geral de uma população. Ela proporciona a manutenção da saúde, capacidade funcional e boa qualidade do sono.

A vida sedentária (sem atividades), é um problema ainda mais perigoso que a pressão alta. Um estudo realizado na Universidade de Cambridge onde foram acompanhados mais de 300 mil  europeus por 12 anos, revelou que o sedentarismo pode matar até duas vezes mais que a hipertensão.

As consequências de uma vida sem atividades são imensas, podendo causar endurecimento das artérias (ou arteriosclerose) dificultando a passagem do sangue, deixando o coração sobrecarregado.

2- Evite o quadro de obesidade

O coração necessita fazer um esforço maior para o transporte deste excesso de tecido gorduroso. Além disto, este quadro pode facilitar a arteriosclerose. eo acúmulo do tecido gorduroso obriga o coração a fazer mais esforço para transportar o sangue.

3- Evite fumar

O cigarro traz vários malefícios à saúde inclusive ações prejudiciais ao sistema circulatório.

A nicotina causa a diminuição do espaço onde o sangue circula nos vasos sanguíneos e faz o coração acelerar de forma desnecessária. Isto ocorre pois com menos espaço para circular dentro do vaso o sangue circula com a pressão mais elevada.

Além disso, o uso contínuo do cigarro pode causar a lesão das paredes das artérias, endurecendo-a  e facilitando quadros de hemorragias.

4- Evite o consumo excessivo de bebidas alcoólicas

O etanol que é o principal elemento do álcool tem a capacidade de liberar adrenalina na corrente sanguínea. Nas artérias coronárias, esse hormônio fica instalado nas paredes e causa o vasoespasmo — fechamento transitório da artéria.

Logo, com esse fechamento da artéria a pressão aumenta causando problemas cardiovasculares.

Vale ressaltar ainda,que o excesso desta substância em nosso organismo pode causar estragos permanentes, além de também ser um problema social que pode desencadear a violência, traumas, acidentes de trânsito, cirrose, câncer, psicoses, dissolução do núcleo familiar.

Ainda em relação a atuação do álcool no organismo,se ingerido em pequenas doses diárias pode trazer benefícios para a prevenção e manutenção de problemas cardíacos. A sua para estes fins ainda é um tabu muito grande, porém estudos realizados e divulgados pela revista Circulation e também pelo projeto Mônica relataram a associação entre uso moderado frequente de álcool e redução do risco de infartos do miocárdio.

5- Alivie o estresse

O estresse, que é o conjunto de preocupações, ansiedade, desespero, acúmulo de expectativas e cobranças do dia a dia, é um fator que pode causar a pressão alta.

Portanto, tente levar uma vida mais tranquila, investindo energia em coisas que te façam bem e te deixe feliz. Tente separar um tempo para passar com seus familiares, amigos e pessoas queridas, procure encontrar momentos que te dão prazer e satisfação, seja um hobbie ou até mesmo uma série de TV.

Ainda no tópico prazer e satisfação, outro fator relevante no controle e prevenção da pressão alta é a alimentação, que pode melhorar ou piorar o quadro de acordo com a qualidade da alimentação.

Alimentação e pressão alta

Com a vida corrida do dia a dia, horários apertados e pouco tempo para fazer as coisas com calma, esquecemos de dar importância para a alimentação saudável. A alimentação é uma necessidade vital do ser humano e quando feita de forma inadequada pode trazer complicações para o organismo, dificultando o funcionamento de todos os órgãos.

O uso abusivo do sal, por exemplo, pode prejudicar o sistema circulatório uma vez que o seu excesso no organismo atrai mais líquido para manter o equilíbrio dos órgãos.

Este líquido que no nosso caso é a água, forma um, maior volume de sangue sendo bombeado pelo coração em um minuto, maior força do batimento e consequentemente o aumento da pressão arterial.

Segundo a OMS  o adequado é ingerir menos que 5 gramas de sal por dia, para temperar todas as refeições.

Pensando nisso, selecionamos algumas dicas para uma alimentação adequada que ajuda no controle e prevenção da pressão alta.

É recomendável que a pessoa com hipertensão procure evitar:

  • enlatados embutidos, mortadela, presunto, picles, azeitona, ervilha em conserva, carne de sol, batata frita, manteiga e pizza;
  • tudo que seja conservado em água e sal;
  • comida pronta congelada;
  • café, excesso de bebidas alcoólicas, refrigerantes, sucos em caixinha/lata, ketchup, mostarda, molho shoyu, temperos prontos artificiais.

O que está liberado:

  • carne branca (frango, peixes);
  • vinagre para temperar, pimenta, ervas, leites e derivados desnatados, vegetais;
  • alimentos diuréticos e ou ricos em potássio;
  • agrião, beterraba, salsão, pimenta, abóbora, cebola, pepino, salsinha, alho, espinafre, aspargo, maçã, abacaxi, laranja, melancia, maracujá, banana, melão, kiwi, limão, chá de alecrim, erva doce e água de coco;

Estes alimentos ajudam a regular e reduzir a pressão arterial.

Até aqui falamos bastante do problema quando a pressão está muito acima dos valores saudáveis mas você sabe que a pressão baixa também pode ser sintoma de algumas doenças?

O que é a pressão baixa ou hipotensão?

O prefixo hipo significa queda ou diminuição, neste caso especificamente queda da pressão arterial. Vale ressaltar que quando falamos da pressão baixa como sintoma alarmante, estamos falando de valores iguais ou menores que 90/60, ou 9 por 6 mmhg, onde são considerados hipotensão e devem ser acompanhados de perto, assim como a pressão alta.

O que causa a pressão baixa?

Geralmente a queda de pressão não é causada por problemas de saúde, então na maioria das vezes não possui riscos para a saúde. Algumas pessoas vivem tranquilamente tendo uma pressão mais baixa, talvez pelo fato de pouparem o coração de um trabalho excessivo fazendo o durar mais.

Porém quando há uma queda muito brusca podem ser sintomas de doenças ou possíveis alterações no nosso corpo.

Por exemplo, no caso da queda de açúcar no sangue, que é conhecido como hipoglicemia, o coração bate de forma mais lenta causando a pressão baixa. Isto acontece porque a glicose fornece energia para as paredes do coração bombearem com mais força e uma vez que o nível de glicose abaixa, elas reduzem a força do bombeamento.

O calor causa a vasodilatação, por isso quando estamos em um clube ou na praia é normal a pressão estar mais baixa.

Além disso, problemas na glândula que está localizada na parte superior do rim, conhecida como suprarrenal, também podem causar a queda de pressão. Isto ocorre pelo fato que esta glândula é a responsável pela produção do cortisol, que é o hormônio que atua na regulação da pressão arterial.

Como exemplo, quando uma pessoa é atingida por uma bala de revólver, ela perde sangue de forma aguda e muito acelerada, causando um choque hipovolêmico (perda excessiva de sangue ou líquidos). Neste quadro a pressão cai drasticamente, podendo levar à morte.

A pele é um revestimento muito importante que nos protege e controla a perda de energia. Quando sofremos alguma lesão na pele, como no caso de uma queimadura, é comum perdemos líquidos, causando também um choque e a queda de pressão.

Principais sintomas da pressão baixa

  • tonturas;
  • vertigens;
  • desmaios;
  • emagrecimento;
  • desânimo;
  • sonolência;
  • vista escura;
  • transpiração em excesso;
  • dor de cabeça;
  • mal estar;
  • desequilíbrio;
  • perda do nível de consciência.

O que causa a pressão baixa?

  • temperatura do corpo;
  • desidratação;
  • ingestão de remédios;
  • falta de vitamina B12 e ácido fólico;
  • diabetes, hipotireoidismo, infecções graves, choque anafiláticos;
  • hipotensão postural ortostática (mudança de posição brusca – ficar sentado por muito tempo e levantar-se de repente) pode causar a tontura com possibilidades de perda de consciência;

O controle da pressão arterial é um fator primordial para a manutenção da saúde. Alterações bruscas e constantes na pressão, como você viu, podem ser indícios de problemas graves e que, se detectados de forma precoce, podem ser tratados rapidamente e sem causar maiores danos.

Por isso, é crucial o acompanhamento frequente e em tempo real desse dado para prevenção de problemas graves de saúde, melhorando a qualidade de vida e bem-estar.

A boa notícia é que com o uso de tecnologia, as empresas têm desenvolvido cada vez mais recursos para facilitar nosso controle e auto conhecimento.

Hoje existem pulseiras inteligentes que conseguem verificar em tempo real os valores da pressão arterial estão disponíveis no mercado trazendo um ótimo custo benefício além de proporcionar maior bem-estar para quem usa.

Agora que você já sabe da importância em medir e monitorar a pressão arterial, que tal entender como prevenir problemas de saúde e melhorar a qualidade de vida com a pulseira da LinCare?

Se tiver alguma dúvida, deixe nos comentários abaixo que será um prazer responder 🙂

Escrito por Lucas Costa
Designer de produto, complexo e apaixonado pelo Design com o foco no ser humano. Utilizo o Marketing Digital, Inbound Marketing juntamente com minha experiência de 6 anos na área da saúde para produzir informações úteis e importantes para o cotidiano das pessoas. Fã número um de vídeos de mágica, séries dramáticas, filmes antigos, temperos diferentes e danças sensuais transformo tudo em ideias para pautas.