O amor não tem idade. Quantas vezes você ouviu essa afirmação? Na verdade, ela tem muito fundamento, pois, é possível amar em qualquer fase, independentemente da faixa etária.

Em outras palavras, as paixões arrebatadoras e os amores intensos não são exclusividade dos jovens. Esses sentimentos podem — e devem — fazer parte da realidade dos idosos, que não precisam ter medo do namoro na terceira idade.

Na terceira idade, os sentimentos são mais maduros, o romance é diferente, o namoro tem suas particularidades, mas a chama da paixão faz tão bem nessa etapa da vida quanto na juventude.

Pensando nisso, preparamos um material exclusivo contendo bons motivos para namorar na terceira idade. Vem ver!

O namoro na terceira idade combate a solidão

Se namoro fosse apenas para os jovens, os idosos estariam limitados a passarem o resto de suas vidas sozinhos. Ainda bem que não é assim! Dá para manter a chama da paixão acesa com o próprio cônjuge ou, até mesmo, encontrar uma nova parceria de vida.

Vale destacar que o namoro na fase da “melhor idade” traz um novo ânimo, aumenta a vontade de viver e combate à temida solidão. Afinal, quem tem um namorado ou namorada, tem uma companhia para dividir momentos de alegria e tristeza, além de compartilhar as pequenas coisas do cotidiano.

O envolvimento afetivo promove o bem-estar

Ter um relacionamento amoroso saudável e sério na terceira idade é também uma maneira de promover o bem-estar de modo geral. Namorar torna a vida mais prazerosa e se sentir amado traz benefícios como o aumento da autoestima e autoconfiança.

Para completar, o namoro na terceira idade contribui na manutenção de um estado emocional saudável, previne a depressão e reduz significativamente o risco de doenças que ameaçam a saúde física dos idosos.

O idoso como indivíduo se fortalece

Dividir a vida com alguém é uma forma deliciosa de se conhecer melhor e se fortalecer como indivíduo. Isso porque começar uma nova relação envolve coragem e determinação para enfrentar desafios.

O primeiro grande obstáculo é superar o preconceito alheio. Não dá para negar que um casal idoso pode esbarrar no julgamento de outras pessoas, tanto que é comum que idosos sintam-se envergonhados e com medo de assumir o relacionamento.

Alguns familiares se opõem ao namoro, ficam preocupados com a saúde, segurança e vida financeira do idoso. Mesmo com boas intenções, a família se esquece que todos têm direito de amar e serem felizes ao lado de outra pessoa.

E é nesse processo de descobertas, dificuldades, encorajamento e enfrentamento do preconceito que os idosos tornam-se mais fortes e dispostos a encarar o que for para alcançar a felicidade.

O namoro torna a vida mais ativa

Idosos que namoram tendem a ser mais ativos. Eles saem para dançar nos bailes, visitam restaurantes, passeiam na praça, socializam com a família do namorado(a) e se encontram para praticar atividades físicas e fazer programas culturais juntos.

O idoso que ainda não namora, mas está em busca de um par, também costuma se movimentar. Ele participa de grupos sociais, usa sites e aplicativos de relacionamento, além de interagir com outros idosos nas redes sociais.

A internet é realmente um canal interessante para encontrar uma nova paixão, no entanto, é fundamental ficar atento aos riscos que o Facebook, Tinder e Instagram oferecem. Sempre que o idoso marcar um encontro, é importante que alguém de confiança saiba do compromisso. Usar pulseiras de monitoramento também é uma estratégia eficiente para aumentar a segurança. Fica a dica!

E aí, gostou do nosso artigo? O que você pensa sobre o namoro na terceira idade? Compartilhe as suas opiniões conosco por meio dos comentários!

Escrito por lincare